Noticias

Abracomtaxi declara “guerra” aos táxis clandestinos. Confira entrevista com o presidente da entidade, Edmilson Americano:

 

Os taxistas têm se queixado dos carros particulares que prestam serviços clandestinos de táxi com o apoio de aplicativos de carona remunerada, entre eles o UBER. De que forma esses aplicativos estão prejudicando a categoria?

Não se trata apenas de uma queixa. O uso clandestino desses aplicativos só cresce e está espalhado por todos os lugares, como empresas, hotéis, rodoviárias, aeroportos e pontos de grande movimento. Esses carros clandestinos que se utilizam dessa ferramenta estão aos poucos, de forma ilegal, tomando o lugar dos taxistas.

É possível mensurar ou quantificar esses prejuízos em termos financeiros?

Nesse momento não é possível, já que eles são clandestinos. Mas a gente sabe que tem perdido muito com essa concorrência desleal. Certamente a quantidade é significativa, e olha que estamos apenas no início. O problema é o que pode acontecer no futuro. Cada dia que passa, a gente tem percebido um aumento desses carros clandestinos.

Quem acaba sendo mais prejudicado, o taxista cooperado ou o que trabalha nos pontos de rua?

Todos são prejudicados da mesma forma. A partir do momento que se permite que esses carros particulares prestem serviços de táxis, todos acabam sendo afetados.

O que está sendo feito para acabar com essa prática ilegal? O poder público está fazendo a parte dele?

Não, as ações do poder público ainda são muito tímidas. O que deve ser feito é aumentar as fiscalizações e as apreensões, ou seja, fazê-las de forma enérgica. Todo mundo sabe onde esses carros estão. Como esse aplicativo (UBER) organiza a ilegalidade, o poder público tem que tomar ações efetivas para reverter essa situação danosa aos taxistas. Basta ter vontade.

A legislação é clara quanto ao uso do aplicativo de carona remunerada? Ou existem pontos polêmicos que podem suscitar dupla interpretação?

Não existe dupla interpretação de nada. A Constituição Federal diz que, no caso do transporte individual de passageiros em veículos de até 7 (sete) lugares, no Brasil, apenas o taxista profissional está autorizado a explorar tal atividade. Além disso, o Código de Trânsito Brasileiro prevê como medida administrativa a retenção do veículo para aquele que efetuar o transporte de pessoas sem a devida autorização para tal finalidade.

No próximo dia 8 de abril, ocorrerá uma grande manifestação dos taxistas em várias capitais do País contra os aplicativos de carona remunerada. Quais suas expectativas para o evento?

Esperamos que, nas várias capitais, os taxistas compareçam em peso para protestarem de forma ordeira e pacífica. Muitos acham que os taxistas não são unidos e que não conseguem se mobilizar em grandes manifestações. Temos que provar para o poder público que a categoria é sim unida. Também temos que desmistificar a idéia de que o taxista só se preocupa em fazer a sua corrida. Peço para que o taxista perca uma horinha do seu trabalho, no máximo duas, para participar da manifestação. É melhor perder uma hora agora do que futuramente ficar esperando várias horas vendo esses carros particulares ilegais “carregando” passageiros na frente deles.

Em vários países da Europa, o aplicativo de carona remunerada UBER foi proibido. O senhor acredita que a manifestação pode influenciar na proibição do aplicativo também no Brasil?

Não tenho dúvidas disso. Se houver grande adesão e os líderes da categoria não tiverem vaidades, certamente obteremos êxito. Os gestores públicos dos países nos quais o aplicativo foi proibido só tomaram essa medida depois de ocorrerem manifestações.

Há publicações nas redes sociais de um movimento chamado Movitaxi falando que eles são contrários à manifestação por uma série de motivos. O que o senhor tem a dizer sobre isso?

Apesar de já ter ouvido falar desse movimento, eu desconheço a Movitaxi, assim como seus objetivos e quem eles representam. Respeito qualquer entidade ou liderança que traga o bem para a categoria, mas não concordo com a idéia de repudiar uma manifestação sem saber os seus reais propósitos. É realmente muito estranho um movimento de taxistas não se inconformar com esses aplicativos de carona remunerada. A Movitaxi inclusive está deturpando os reais motivos da manifestação, falando que somos contra quaisquer aplicativos para taxistas, entre eles o Easy Táxi e o 99Taxis. Isso é um absurdo. Somos a favor de tudo que traga benefícios para a categoria. A luta é, sim, contra os aplicativos de carona remunerada, só estes. Tenho uma história de luta em prol dos taxistas e assim continuarei agindo.

Até onde os taxistas irão com essa luta? Novas manifestações podem ser organizadas?

Lutaremos até que o problema seja resolvido. Não vamos desistir. Este é apenas o primeiro movimento. Muitos outros poderão acontecer.

1 de abril de 2015
Foto Americano Entrevista

Abracomtaxi declara “guerra” aos táxis clandestinos, confira entrevista.

Abracomtaxi declara “guerra” aos táxis clandestinos. Confira entrevista com o presidente da entidade, Edmilson Americano:   Os taxistas têm se queixado dos carros particulares que prestam […]
1 de abril de 2015

ABRACOMTAXI já protocolou representação no Ministério Público contra UBER

O Departamento Jurídico da ABRACOMTAXI – Associação Brasileira das Associações e Cooperativas de Motoristas de Táxi –, capitaneado pelo Dr. Fábio Godoy, protocolou no Ministério Público […]
2 de março de 2015
REVISTA-TAXI-ALVARÁ

Anúncio de cancelamento de alvarás dos táxis, mobiliza toda categoria

Anúncio de cancelamento dos alvarás dos táxis paulistanos e exigência para que Prefeitura realize licitação pública mobiliza categoria Uma ordem do Tribunal de Justiça de São […]
2 de janeiro de 2015
image_large

Presidente Dilma sanciona lei que garante a hereditariedade dos alvarás

Diante da polêmica decisão da justiça que caça os alvarás dos taxistas paulistanos, nova lei abre novas possibilidades de recursos para os taxistas Após uma intensa […]